O Governo proibiu, os manifestantes não acataram. No blogue 5dias.

by bloqueioportolx

«No dia 7 de Setembro de 1974 um plenário com 2 mil trabalhadores ratifica a decisão de convocar uma manifestação que levaria os metalúrgicos da Lisnave para o centro da cidade de Lisboa, até ao Ministério do Trabalho, na Praça de Londres. Os trabalhadores da Lisnave exigem o saneamento da administração, recusam a lei da greve (que chamam nos comunicados de «lei anti-greve» porque queria proibir as greves de solidariedade e autorizar o lock out) e pedem a adesão de outros trabalhadores da Efacec, CTT, TAP.

(…)

O Governo, através do Ministério da Administração Interna, ilegaliza a manifestação no dia 11, temendo o alastramento da luta a outras empresas. Pela manhã de dia 12 uma delegação do MFA vai à Margueira para convencer os operários a adiarem a manifestação para um sábado. Em vão. Como lembra Fátima Patriarca, os operários tinham evoluído de uma posição dialogante para uma posição de força, em que as reivindicações não eram discutidas: a manifestação iria ter lugar e seria um acto de força contra o poder. No dia 12 de Setembro, os operários, reunidos no interior do estaleiro, ratificam a manifestação com apenas 25 votos contra. Lá fora, as forças do COPCON cercam, com grande aparato militar, o estaleiro.»

Anúncios